Vaivém – Clima afeta soja na Argentina, e preços sobem

Colheita de milho em fazenda no Estado de Illinois (EUA). *** ORG XMIT: WXG297 Joe Raben harvests corn on land he farms with his father and uncle October 4, 2008 near Carmi, Illinois. A recent tumble in the price of corn and soybeans combined with the rising cost of seed, fuel, and land rents have many Midwestern farmers concerned. AFP PHOTO/Scott Olson/Getty Images ***DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM***

Colheita de milho em fazenda no Estado de Illinois (EUA).

Redução de estoques norte-americanos e problemas climáticos na Argentina esquentaram de novo o preço da soja, que está sendo negociada de US$ 10,7 a US$ 10,8 na Bolsa de Chicago, os maiores valores desde julho do ano passado.

Os Estados Unidos já produziram safra recorde em 2016/17. Brasil e Paraguai, por ora, também devem ter volume recorde.

As altas ocorrem por causa da Argentina, onde chove muito em várias regiões produtoras.

O problema, segundo a analista Daniele Siqueira, da AgRural, não é tanto a produtividade, mas o tamanho do estrago que as chuvas estão provocando na área de soja.

Os dados são muito desencontrados, e as estimativas das áreas afetadas de forma mais intensa por chuvas vão de 500 mil a 3,5 milhões de hectares. Parte dessa área ficaria sem plantio.

As informações são que na região da província de Buenos Aires pelo menos 300 mil hectares deixaram de ser plantados. Já no norte, faltam outros 700 mil para serem semeados.

Siqueira diz que é difícil uma avaliação das eventuais perdas de produção, até porque as plantas, semeadas em uma "janela" muito grande –período de plantio–, vão reagir de forma diferente aos efeitos climáticos.

O Usda (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), com base em dados colhidos no mês passado, estima a safra argentina em 57 milhões de toneladas.

*

Carne nos EUA – A produção comercial de carne bovina atingiu 11,4 milhões de toneladas no ano passado, segundo dados do Usda (Departamento de Agricultura dos EUA), divulgados nesta quinta-feira (19).

Suínos – Já a produção de carne suína subiu para 11,3 milhões de toneladas no ano passado, 2% mais do que em 2015.

Scott Olson

Por Mauro Zafalon

Vaivém das Commodities

Mauro Zafalon é jornalista e, em duas passagens pela Folha, soma 40 anos de jornal. Escreve sobre commodities e pecuária. Escreve de terça a sábado.

Fonte : Folha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *