AGRICULTURA – Exportação de tabaco do Brasil ultrapassa US$ 2 bilhões em 2016

Valor é 2% menor que o de 2015, mas país ainda se mantém como o maior exportador mundial do produto

agricultura_tabaco (Foto: Marcelo Curia/Ed. Globo)

agricultura_tabaco (Foto: Marcelo Curia/Ed. Globo)

Em 2016, o setor de tabaco apresentou uma leve queda nas exportações no Brasil, em relação ao ano anterior, seguindo a tendência já apontada pela PriceWaterhouseCoopers. No entanto, o país ainda se mantém como o maior exportador mundial do produto.  Embora o volume das vendas externas tenha caído 6,5% e o valor 2,78%, o setor representou 1,15% do total dos embarques brasileiros, que no ano passado alcançaram US$ 185,235 bilhões. No caso do tabaco, foram 483 mil toneladas exportadas gerando US$ 2,12 bilhões.

De acordo com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), em relação a outros produtos, a queda das exportações de tabaco foi a menor. A região Sul concentra mais de 99% das vendas para o exterior. Em comparação com 2015, os estados do Sul exportaram -2,78% em dólares e -6,45% em volume, com um acumulado no ano de US$ 2,09 bilhões e 481 mil toneladas. Este resultado já era esperado, diz o presidente do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco), Iro Schünke. “O montante embarcado está dentro do previsto pela PWC, que apontou tendência de queda de -6% a -10% em 2016, tanto em dólares quanto em volume.”

O Rio Grande do Sul continua sendo o maior produtor e exportador do tabaco no Brasil. Em 2016, foram 383 mil toneladas embarcadas, gerando divisas de US$ 1,65 bilhão. No estado gaúcho, o produto é o segundo mais exportado, com 10% do total das exportações do ano, atrás somente da soja. Já em Santa Catarina, o setor representa 5,7% dos embarques sendo o 4º da pauta comercial. Considerando toda a região, o tabaco foi responsável por 5,3% de todos os embarques realizados.

A União Europeia continua sendo o principal mercado importador, responsável por 41% do volume embarcado em 2016, seguida pelo Extremo Oriente (28%) e América do Norte (12%). Já entre os principais países importadores, Bélgica, China e Estados Unidos lideram o ranking, com incremento de 15%, 6% e 10%, respectivamente, no montante embarcado. Ao todo, 90 países compraram o produto brasileiro no último ano.

POR REDAÇÃO GLOBO RURAL

  • Fonte : Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *