Para orientar produtores, empresas levam à Expodireto de chuva simulada a "trincheira" de milho

Objetivo é que agricultor possa extrair o máximo possível das tecnologias, especialmente na área de sementes

por Leandro Becker

10/03/2015 | 11h48

Para orientar produtores, empresas levam à Expodireto de chuva simulada a "trincheira" de milho Thiago Tufano/Divulgação

Monsanto destaca a proteção da raiz por meio de experimentos realizados com o milho VT PRO3Foto: Thiago Tufano / Divulgação

Mais do que acesso à tecnologia, é preciso saber usá-la. O bordão é antigo, mas a realidade é muito atual. O investimento crescente em pesquisa tem trazido ao campo muitas novidades e perspectivas. Por isso, muitas empresas aproveitam a Expodireto para, além de fazer lançamentos, destacar serviços e orientação técnica ao produtor.

Palco da Expodireto, Não-Me-Toque triplicou o PIB em 10 anos
Foco no produtor faz Cotrijal ter faturamento recorde e ampliar estrutura
Agronegócio forte faz Não-Me-Toque ser cobiçada por investidores
Kátia Abreu: "Nosso ministério é o portador das boas notícias"
Expodireto tem clima positivo diante da previsão de safra recorde de soja
Leia bastidores da feira no Blog da Supersafra
Leia as últimas notícias de Zero Hora

Uma delas é a Embrapa, que apresenta cultivares de trigo, cevada e centeio, mas tem um foco mais amplo em sistemas e manejo. O engenheiro agrônomo Giovani Stefani Faé explica que, dentre as ações realizadas na feira, estão um experimento que simula chuva para mostrar os efeitos de determinado modo de plantio no escoamento de água, orientações para o manejo integrado de pragas e simulações que destacam a importância da compra de sementes certificadas:

— A tecnologia ajuda, mas é fundamental a forma como é aplicada. Uma pequena mudança na época de semeadura sem a cultivar adequada, por exemplo, pode ter grande impacto na produtividade e até aumentar o risco de doenças.

Ele também ressalta a importância de buscar estratégias de manejo para otimizar a produção, mas frisa que não há receita pronta:

— É necessário informação, planejamento e tomada de decisão conforme indicadores técnicos.

Outra empresa que aposta nos serviços é a Monsanto. A coordenadora de biotecnologia, Bruna Casaroti, destaca o Canto do Refúgio, onde o produtor pode simular a melhor disposição do plantio de refúgio e levar o resultado para casa:

— Pensamos em algo didático e que permita contato com técnicos da região, para ajudar e tirar dúvidas de forma personalizada.

O refúgio é um espaço de plantio com variedade convencional que fica ao lado de outro com cultivo transgênico. O objetivo é garantir insetos que, ao se acasalarem com os que tenham desenvolvido resistência às plantas geneticamente modificadas, transmitam a sensibilidade à tecnologia às gerações seguintes, protegendo a eficácia do controle das pragas.

Outra atração é uma trincheira (buraco na terra) que destaca a proteção da raiz do milho por meio de experimentos realizados com o milho VT PRO3, permitindo ao produtor enxergar como está o desenvolvimento da planta. Há, ainda, uma maquete que destaca recomendações para cultivos de soja e milho, proteção e sustentabilidade e permite interatividade.

— Na área de sustentabilidade, o produtor pode moldar o ambiente com ícones, como rio, árvores e galpão, e os técnicos conseguem orientar seria o local ideal para armazenar produtos químicos, por exemplo — explica Bruna.

Coordenador da área de produção vegetal e animal da Expodireto, Gelson Lima ressalta a importância do intercâmbio proporcionado pela feira e frisa que o manejo adequado permite explorar todas as potencialidades da tecnologia disponível. Ele ressalta, ainda, a oportunidade de trocar experiências sobre produtos recém-lançados:

— Dizem que a cada 14 meses o estoque de informações na agricultura dobra. Então, mesmo havendo expositores tradicionais, o diferencial está no que trazem à feira. Logo, é importante que o produtor consiga absorver e aproveitar o máximo.

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *